Vindimas 2020: Aveleda com um excelente ano em vista

30 Sep 2020 / 150 anos

Foi em Agosto que o grupo Aveleda iniciou a vindima de 2020, com a adega de Villa Alvor, no Algarve, a abrir as portas da adega em primeiro lugar. É um ano promissor, apesar de atípico, em que se espera um aumento de produção nas várias regiões onde as propriedades da Aveleda se localizam – Algarve, Vinhos Verdes e Bairrada – com exceção da região do Douro, onde as quebras se fizeram sentir. Do ponto de vista da qualidade, embora ainda seja cedo para tirar conclusões e tenha sido um ano pouco previsível, a Aveleda está confiante que irá produzir grandes vinhos. 

A região do Douro, onde a Aveleda possui a Quinta Vale D. Maria, espera um decréscimo de produção, devido às condições climatéricas no final da maturação. De acordo com o Instituto do Vinho e da Vinha, a variabilidade meteorológica deste Verão, com o calor excessivo sentido no mês de Julho e, mais recentemente, em Setembro, provocou escaldão e desidratação das uvas, penalizando a produção. No entanto, tudo aponta para uma qualidade superior nos Vinhos do Porto, nos vinhos brancos e também nos tintos. Embora em menor quantidade, os mostos revelam um carácter profundamente frutado e intenso.

Já no Algarve, onde se deu o arranque desta vindima, prevê-se uma melhoria das produções, com a colheita de 2020 a expressar muito bem a tipicidade e pureza das castas plantadas na propriedade. 

Na Bairrada, a produção mantém-se ao nível dos anos anteriores. A viticultura de precisão é uma ferramenta fundamental, que permitiu manter os cerca de 1,5kg esperados por videira.

Por fim, na região dos Vinhos Verdes – que é o berço da empresa – as expetativas são bastante altas. As elevadas amplitudes térmicas no final da maturação, permitiram às castas Loureiro e Alvarinho desenvolver uma excelente componente aromática e uma concentração, gerando mostos de elevada qualidade.

Embora 2020 tenha sido um ano atípico, as expectativas de vendas no mercado nacional e internacional seguem uma tendência de crescimento: “O aumento de vendas da empresa, assim como de toda a região dos Vinhos Verdes, vem demonstrar o enorme dinamismo da Região dos Vinhos Verdes. Neste cenário de crescimento consistente de vendas é crucial que a região continue a investir na viticultura como eixo de melhoria e diferenciação dos seus produtos, nunca esquecendo a sustentabilidade da fileira. Neste sentido é urgente que a CVRVV, na figura do seu Conselho Geral, continue a apoiar os viticultores da região com medidas que permitam a estes melhorar os seus rendimentos e, assim, investirem no futuro”, refere António Guedes, CO-CEO da Aveleda.  
Todos os anos são um desafio, e este é o encanto do nosso trabalho. Criar vinhos com qualidade, consistência e que demonstram a sua origem é o nosso propósito, e por isso, o respeito pela natureza é essencial. Ir de encontro ao que ela nos oferece, de forma a produzir vinhos de excelência é fundamental ano após ano, vindima após vindima. 2020 obrigou-nos a ter paciência, a repensar a vindima com distanciamento social, a redefinir a pisa a pé no Douro ou a forma como são entregues as uvas no Vinho Verde. O calor constante acelerou a maturação das uvas, e foi preciso ainda mais um cuidado na sua selecção antes da entrada na adega. Estamos confiantes que a nossa experiência e equipa técnica produzirá os resultados esperados pelos nossos consumidores. A prova será feita já a partir de Fevereiro 2021 com os primeiros vinhos de Casal Garcia, em Março 2021 com Villa Alvor e Aveleda, em 2022 com Quinta Vale D. Maria e em 2023 com Quinta da Aguieira.

Publicado por Aveleda

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação e para fins estatísticos. Saber mais